Homossexualidade - Comportamento aprendido


A questão da homossexualidade é polemico em qualquer parte do mundo. Não poderia ser diferente no Brasil. Aqui é predominante a visão machista e maniqueísta do viver humano. Sendo assim a sociedade impõe baseada em princípios de certo e errado como as coisas devem ser.  As coisas que mais intimidam as pessoas são os assuntos relacionados ao sexo, tanto no que diz respeito ao ato sexual quanto ao gênero. É por esta razão que a homossexualidade é vista como uma praga no meio da sociedade por muita gente, por fugir da regra geral. A homossexualidade é tratada de diversas formas segunda a visão que cada um tem sobre os direitos e deveres do seres humanos. A igreja impõe seus direitos e deveres, a sociedade impõe seus direitos e deveres, o estado impõe seus direitos e deveres. E estes direitos e deveres permanecem inalterados excetuando-se em relação ao estado. Para o estado não importa a sexualidade adotada pelo individuo desde que ele cumpra as suas obrigações de cidadania. É cada vez mais recorrente leis que abraçam a causa homossexual o que para muitos evangélicos é uma afronta. De certa forma o estado tenta corrigir as falhas da intolerância religiosa, mas se mostra inútil ao atender todas as reivindicações dos grupos gays, porque bate a cara no muro da sociedade preconceituosa. Quem está certo ou errado quando o assunto é homossexualidade? O que é verdade ou mentira nesta história tão dura de ser vivida? Tentar achar uma resposta não é tarefa fácil. E até mesmo quem trabalha diretamente com assunto tem dificuldades para falar a respeito. Existe no Brasil uma ONG chamada Exodus Brasil que lida com homossexuais no sentido de equipar as igrejas para orientarem os indivíduos nesta condição. A ONG já existe há mais de 35 anos nos EUA e a 10 está no Brasil. Para Denis Ferreira, psicólogo e diretor da ONG no Brasil, o problema é mais complexo do que se pode imaginar. E o que é pior, a igreja tem errado mais do que acertado. Muitos lideres ao lidar com a questão fazem isto de forma muito sem graça. Expondo por demais de maneira grotesca a vida destas pessoas. A Bíblia é clara quando diz que o comportamento homossexual não agrada a Deus e que não é o plano de Deus para a sexualidade. Para Maria Domingos, missionária que a 8 anos trabalha diretamente com orientação para homossexuais, conta que a homossexualidade é um comportamento aprendido. É um comportamento aprendido por experiências na infância de coisas que deveriam ter acontecido como uma identificação saudável com pessoas do mesmo sexo, o que não ocorreu. Ou coisas que não deveriam ter acontecido como no caso de abusos sexuais.  44% das crianças abusadas chegaram a desenvolver comportamento homossexual. Também isso não é uma relação de causa e efeito foi abusado, virou homossexual, mas a probabilidade é grande de uma pessoa abusada se tornar um homossexual. É uma busca por afeto e afeto por figuras do mesmo sexo. É comum a promiscuidade e a falta de fidelidade entre homossexuais porque eles ficam numa busca incansável por algo que eles não vão encontrar. É uma tentativa de reparar as deficiências de afeto que foram perdidas na infância. A homossexualidade é segundo alguns psicólogos uma busca reparativa. Quando a igreja fica dizendo que é espiritual, ou isso ou aquilo, erra. É um misto de coisas que mudam o comportamento do individuo e o ambiente familiar é responsável direto por este comportamento. É a busca da reparação afetiva perdida na infância. Não é uma questão meramente espiritual. Se fosse assim oraríamos e tudo estaria resolvido. Também não se pode dizer que a questão é apenas psicológica, se assim fosse, bons psicólogos tratariam da questão sem maiores problemas. Existe ainda segundo Maria Domingos a questão espiritual sim, e Jesus tem poder para libertar qualquer pessoa de espíritos maus, mas não pode mudar o comportamento aprendido ao longo de uma vida. Isso depende da pessoa. Segundo Denis existe casos de pessoas que abandonaram o comportamento homossexual. São poucos os casos, mas é possível e já aconteceu. Estas pessoas freqüentam igrejas normalmente. A maior dificuldade, no principio, que uma pessoa que teve experiência com a homossexualidade e começa a freqüentar uma igreja cristã é o preconceito da própria igreja e o próprio preconceito dela mesma, porque até os homossexuais tem preconceito de si mesmo. E quando o assunto é preconceito a igreja tem mostrado que não está preparada para lidar com esta questão. A grande maioria do ódio gerado no coração dos homossexuais é responsabilidade direta da igreja que com sua falta de amor tem excluído muitas vidas. Muito dos movimentos gays como LGBT, por exemplo, originaram-se como uma resposta que os gays deram as igrejas. A maioria das igrejas que existem hoje para homossexuais eram de pessoas que faziam parte de igrejas tradicionais e que foram excluídas por causa do preconceito, eram pessoas que estavam tentando buscar a Deus num ambiente saudável, e não conseguiram. Não é aceitar o comportamento homossexual. É aceitar a pessoa e trabalhar no sentido de que o Espírito Santo de Deus a convença. Nenhum discurso humano é capaz de converter um homossexual, alguém pode falar por horas por mais bonito que seja, mas na vai resolver. O que precisa ser feito é acolher para que Deus faça a obra de conversão em cada coração. O discurso de Jesus para o homossexual é o discurso do amor e se o amor de Deus não puder convencer o homem de seus erros ninguém mais pode fazê-lo. O comportamento homossexual é aprendido em algum momento da vida do individuo. Fazê-lo entender que este comportamento esta errado, e fora dos planos de Deus, é tarefa para poucos. Assista ao homossexualidade por Denis diretor do Exodus Brasil.

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails