Sobre os 144.000 selados parte 1 - TJ

Rebanho de ovelhas
Lemos em Apocalipse 7.1-8 o que o apóstolo João viu a respeito: "Depois disto vi quatro anjos em pé nos quatro cantos da terra, conservando seguros os quatro ventos da terra, para que nenhum vento soprasse sobre a terra, nem sobre o mar, nem sobre árvore alguma. Vi outro anjo que subia do nascente do sol, tendo o selo do Deus vivo, e clamou em grande voz aos quatro anjos, àqueles aos quais fora dado fàzer dano à terra e ao mar, dizendo: Não danifiqueis nem a terra, nem o mar, nem as árvores, até selarmos em suas frontes os servos do nosso Deus. Então ouvi o número dos que foram se¬lados, que era cento e quarenta e quatro mil, de todas as tribos dos filhos de Israel: da tribo de Judá foram se¬lados doze mil; da tribo de Ráben, doze mil; da tribo de Gade, doze mil; da tribo de Aser, doze mil, da tribo de Naftali, doze mil; da tribo de Manassés, doze mil; da tribo de Simeão, doze mil; da tribo de Levi, doze mil; da tribo de Issacar, doze mil; da tribo de Zebulom, doze mil; da tribo de José, doze mil; da tribo de Benjamim foram selados doze mil.”
Esse capítulo começa de maneira dramática: quatro anjos retardam os ventos do juízo, mas estão evidentemente a ponto de soltá-los. Aí aparece um outro anjo que lhes ordena, em alta voz, que interrompam a danificação da terra, do mar e das árvores, "até selarmos em suas frontes os servos do nosso Deus" (Ap 7.2-3). Que os quatro poderes destruidores, representados pelos quatro ventos, não possam simplesmente lançar-se a esmo sobre a terra prova que o Senhor mantém o controle sobre a execução do juízo e o exerce com extremo cuidado. O que sempre me chama a atenção, quando analiso a palavra profética, é que nos atuais acontecimentos dos tempos finais se reflete o cumprimento dessas profecias de juízo, quer seja no campo político, militar ou das catástrofes naturais. Quando se fala aqui de "quatro ventos" (ventos de juízo), não somos imediatamente levados a pensar nas tempestades que têm assolado muitas regiões do mundo? Consideremos tais acontecimentos como advertências divinas, como sinais de que o cumprimento do próprio juízo é iminente.
Quem é o outro anjo que aparece?
Ele dispõe de grande autoridade, pois ordena algo em grande voz aos quatro anjos. Esse outro anjo distingüe-se claramente dos quatro anjos de juízo. Até onde sou capaz de compreendê-lo, trata-se do Filho de Deus, pois aqui está escrito algo singular, que normalmente não é dito de nenhum outro anjo: "Vi outro anjo que subia do nascente do sol..." (Ap 7.2). Somente se lê algo semelhante, no sentido negativo, da "besta" e do falso profeta (comp. Ap 11.7 e 13.11), sendo que estes, entretanto, sobem respectivamente do abismo e da terra e não podem chegar além da terra. Mas Jesus Cristo, aqui na figura de um anjo, sobe "do nascente do sol". Aí vemos resplandecer profeticamente o futuro de Israel. Malaquias o viu da seguinte maneira: "Mas para vós outros que temeis o meu nome nascerá o sol da justiça" (MI 4.2a). De qualquer maneira, esse outro anjo é completa luz e glória. Ele é muito mais elevado do que os quatro anjos do juízo, que conservam seguros os quatro ventos da terra, ordenando-lhes com "grande voz" que continuem a segurá-los. Os quatro ventos são tempestades de juízo, executores de juízo: "...aos quais fora dado fazer dano à terra e ao mar" (Ap 7.2b). Evidentemente, os quatro anjos foram encarregados de soltar os ventos sobre a terra madura para o juízo. Mas aí é dada repentinamente uma outra ordem que tem precedência. O outro anjo, Jesus Cristo, lhês ordena que parem. Isso pode ser ilustrado através de uma cena do trânsito na rua: quando a sinaleira diante de nós está verde, podemos avançar livremente, ou seja, temos a preferência. Mas se chegar uma ambulância ou uma viatura da polícia, com a sirene ligada, a preferência passará a ser sua. A ordem desse outro anjo tem prioridade, e essa também é uma prova de que Ele é o Filho de Deus. Pois em Colossenses 1.18 está escrito: "Ele é o princípio, o primogênito de entre os mortos, para em todas as cousas ter a primazia ".

Wim Malgo Chamada da Meia Noite
Clique AQUI  para ler a segunda parte

Um comentário:

Edinelson Lopes disse...

Graça e Paz

Quero te apresentar o ministério de evangelismo Siga o Mestre agora com uma ferramenta na internet: o Blog, com publicações que tratam o evangelismo e o discipulado através do testemunho diário, com reflexões sérias sobre o universo cristão.

Nossa missão é provocar, de forma racional, a prática radical da nossa fé, pois é preciso entender que é necessário morrer para que o mundo seja alcançado.
Renúncia, responsabilidade e disposição são os segredo daqueles que querem seguir o Mestre.

Ajude-nos a promover esta idéia, venha nos conhecer, participe, comente, siga com a gente.

Se abençoamos sua vida, você pode fazer parceria com o Siga o Mestre, e assim servir de apoio na divulgação de nossas publicações que são voltadas para o que consideramos a real necessidade da igreja atual: ATITUDE, e sobre isso escrevemos.

Parece simples, mas como diz o Juliano: "torna-se difícil quando a igreja se recusa a morrer para que outros possam viver".

Forte abraço em Jesus, o Mestre.
sigaomestre.blogspot.com

Related Posts with Thumbnails