O evangelho da conveniência


Uma das coisas mais importantes na vida de um homem é o compromisso que ele tem com a verdade. E não importa a fé que a pessoa professe, verdade é verdade. O texto de João 8:44 expressa a realidade daqueles que vivem na mentira. O texto diz que aqueles que mentem são na verdade filhos do diabo. Na outra margem estão aqueles que seguem a verdade e são chamados filhos de Deus. Não dá para confundir estas coisas, verdade e mentira, são antônimos. E não são apenas diferentes em seu significado, tornam diferentes as vidas de quem as pratica. Um outro ponto é o grau da verdade ou o grau da mentira, não existe meia verdade, e nem tampouco uma mentirinha. Quando o assunto é a veracidade dos fatos não existem atenuantes.

A coisa fica mais séria quando o assunto é evangelho. Neste caso deve-se considerar que o crente em nenhum momento deve mentir e é obrigação sua sempre falar a verdade. E em nenhum momemto, o seguidor de Jesus, deve praticar o evangelho da conveniência. O evangelho da conveniência é anticristão e não se aplica aos propósitos de Deus para a igreja. O pior de tudo é quando este evangelho da convêniencia parte das lideranças da igreja. Devemos nos lembrar ainda que conveniência não era uma palavra que fizesse parte da vida de Jesus. ...mas que a vossa palavra seja sim, sim e não, não, para que não caiais em condenação. Sim, sim e não, não, é o evangelho da não conveniência.

Uma outra expressão aliada da conveniência é o "fazer vista grossa". Fazer vista grossa é ver alguma coisa e fingir que aquilo não está ao alcance dos olhos. Em alguns casos não dá para saber se é a conveniência que gera a vista grossa ou se é a vista grossa que gera a conveniência, contudo, é comum as duas andarem juntas, conveniência e vista grossa.

Na prática o resultado é o pior possível. Uma igreja pode nunca ter aceitado sexo antes do casamento, mas, por uma questão de conveniência passa a aceitar. Adultérios acontecendo e os lideres fazem vista grossa, como se isto fosse extremamente normal. Pregadores que sem nenhum preparo sobem aos pulpitos levando todo tipo de contaminação. Mas tudo pode na igreja que pode tudo. O evangelho da conveniência é permissivo e danoso para a igreja. Descaracteriza o evangelho e deixa as pessoas confusas. Dizer que alguém é evangélico já não é mais a mesma coisa de algum tempo atrás. Atualmente falta um padrão de servos de Deus, mas, um padrão confiável, que esteja genuinamente firmado na palavra. O evangelho da conveniência existe em detrimento da qualidade de vida cristã. Em suma quem está errado não se importa com quem está certo desde que quem está certo faça o que é errado também.

Na igreja do senhor Conivente, que permite o evangelho da conveniência, fazendo vista grossa para tudo, tem uma placa com a seguinte saudação de boas vindas: Venha como está, fique como quiser, seja feita a tua vontade.

Diga não ao evangelho da conveniência. Diga não a mentira.
Rogerio Loureiro

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails