Devocional 003 Salvação - Arrependimento e fé



A salvação em Cristo – Devocional 003


A salvação do homem é uma obra de Deus na vida humana. O homem não pode salvar-se a si mesmo. No entanto, é necessário que cada homem, individualmente, receba esta salvação, e se submeta à direção do Espírito Santo para desenvolvê-la, paulatinamente em sua caminhada com Deus. Abaixo, citamos alguns aspectos relacionados com a salvação:


O arrependimento


A palavra arrependimento significa: mudança de mente, intenção ou propósito. O homem não é capaz, por si mesmo, de arrepender-se; é necessário que Deus opere em sua vida. O arrependimento é um dom de Deus (2Tm 2.25), porém cabe ao homem abrir-se aos meios que Deus usa para levá-lo ao arrependimento. Os meios que Deus usa são os seguintes:

A pregação da Palavra (At. 2.37,38)


A bondade de Deus tem como objetivo levar o homem ao arrependimento (Rm 2.4; E1 4.32).


A disciplina é outra maneira pela qual Deus leva o homem ao arrependimento (Dt 8.5; Ap 3.19).


O arrependimento é uma experiência interior da pessoa, mas que tem sua manifestação exterior. É demonstrado na confissão do pecado: primeiro a Deus (SI 32.3-5), mas também ao nosso próximo contra quem pecamos (Mt 5.23,24; Lc 19.8,9; Tg 5.16). É demonstrado no desejo de abandonar o pecado (SI 51.3-5; Pv 28.13). É demonstrado no desejo de reparar erros cometidos no passado, sempre que isto for possível (Lc 3.8; 19.8). O arrependimento é uma experiência indispensável à salvação e necessária a todos os homens (Mt 3.1,2; 9.13; Lc 13.3-5; At. 11.18; 17.30; Tt 2.11).


A fé em Deus
A fé é a atitude na qual o homem abandona toda confiança em seus próprios esforços para obter asalvação e coloca a sua confiança completa em Cristo como Salvador e Senhor da sua vida (At 16.29-31). Sem fé é impossível agradar a Deus (Hb 11.6). É por meio da fé que aceitamos a Cristo para a salvação (At 15.9; Ef 2.8). A fé que salva, não é a mera crença na existência de Deus, mas é a fé produzida em nós mediante a Palavra de Deus e vivificada em nossos corações pelo Espírito Santo (Rm 10.17). A fé genuína mostra-se através da certeza e não da dúvida (Hb 11.1; Tg 1,6), através da obediência (Hb 3.18,19; 1 Jo 3.22), através da prática de boas obras (Ef 2.10).

A conversão a Deus


O arrependimento e a fé, combinados, é o que chamamos de conversão (At. 3.19; 11.21; 14.15; 26.18). Uma vida que rompe com a vida no pecado e volta-se para uma nova vida de dedicação a Deus (At 19.18-20).


O perdão divino é recebido quando, depois do arrependimento, o pecador pede a Deus o perdão de seus pecados (SI 32.3-5). Só Deus pode perdoar pecados. Jesus Cristo, sendo Deus, tem autoridade de perdoar pecados (Mt 9.6). É nesta vida que o pecador recebe o perdão de Deus, não além da morte (Lc 16.19-31). É com base no perdão de Deus que nós temos capacidade de perdoar uns aos outros, tendo por isso mesmo o dever de fazê-lo (Lc 11.4).


O pedido de perdão não é um acontecimento único na vida do cristão. Por ocasião de sua conversão, recebe perdão de todos os seus pecados passados (SI 51.1,2; SI 103.11,12;). No entanto, a confissão dos pecados deve ser uma prática constante na vida do cristão. Toda vez que pecar, deve pedir perdão a Deus, para que sua comunhão com Deus seja restabelecida (SI 32.5; Pv 28.13; 1 Jo 1.9). Perder a comunhão com Deus não é o mesmo que perder a salvação, mas o pecado não confessado e a persistência no erro endurecem o coração e leva à apostasia, a qual atrai o julgamento de Deus (Hb 2.1-4).

Rogério Loureiro

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails