Pequenas igrejas grandes negócios

É muito engraçado como as pessoas tem capacidade de esquecer com facilidade de fatos históricos. Se voltam apenas para o presente para fazer certas críticas incovenientes principalmente para atacar os crentes. E falo isto pelo fato de uma grande maioria de católicos descerem a lenha em evangélicos quando o assunto é dinheiro. Existem pelo menos dois tipos de críticas que podem ser dirigidas aos crentes evangélicos. As que partem de evangélicos para evangélicos, e as que partem de incrédulos católicos para evangélicos. As razões pelas quais as críticas surgem podem ser as mais comuns e subdividem-se pelo menos em duas categorias: legítimas e ilegítimas. Por exemplo, não existe legitmidade quando alguém afirma que todos os pastores de igreja são ladrões. Porém existem pastores ladrões, assim como em todas as classes sociais em várias ocupações em todos os níveis. Ladrões existem desde que o mundo é mundo. Aliás com este terrível título a classe pastoral só está perdendo para juíz de futebol.  Mas voltemos a idéia do pastor ladrão. Esta idéia está arraigada na mentalidade de todas as pessoas. E como já falei não é verdade afirmar que todos os pastores são ladrões.

A pergunta que não quer calar é a seguinte: Quem colocou na cabeça das pessoas, de um modo geral, que todo pastor é ladrão? Isto é verdade ou mito? Houve na história passada, ou mesmo na presente, algum caso em que pudéssemos pressupor tal coisa? Ei sábios, digam-me por que sou louco? De quem é a culpa deste pensamento tão impuro, tão insano, amados irmãos? E quem seria capaz de cometer tão feio ato perante nosso Deus? Atos 5:1-4.

Eu confesso que não entendi o que um "incircunciso" indiretamente disse para ofender alguns crentes, aos quatro ventos, bem alto, no departamento onde trabalhávamos: Vou parar de trabalhar e abrir uma igreja! O que ele quiz dizer com isso? Que horror! Depois caí na real. E percebi que muitas pessoas carregam dentro de si esta idéia, a do pastor ladrão. Uma coisa eu sei. Muitas pessoas incrédulas vivem do que veem e ouvem. E quem mostra e fala? Quando um pastor aparece na televisão falando de milhão para cá, milhão para lá, o que parece isto? No país, do milhão na meia, milhão na cueca, show do milhão, milhões, milhões, milhões... É muito milhão gente. Lembra do Lalau, pois é? E com tanta riqueza por aí onde é que está minha fração? 

Na verdade descobri que ninguém é ladrão. Isto no ecsiste! Tudo o que vemos e ouvimos não tem nada a ver com o que pensamos. Nossas idéias não correspondem aos fatos. O Maluf disse uma vez,  que estas coisas que andam falando, sobre roubalheira, é tudo fruto da nossa imaginação e, que paraíso fiscal no ecsiste!

Todos estes rumores sobre pastores ladrões só vão acabar quando os ministros de Deus pararem com seus luxinhos. Andar de jatinho não deixa ninguém mais perto de Deus. E saibam de uma coisa, todos vós que estais cansados, quando uma pessoa aparece em público, ou melhor na TV, para dizer que não está preocupada com o que falam dela não significa que isto seja verdade. Aliás, é muito bom que os ministros do Senhor estejam preocupados com que falam deles, SIM! Quando falam mau de um pastor, ainda que sem motivo, estão sujando o nome de muitos cristãos limpos e honestos, que aos olhos dos ímpios são farinha do mesmo saco, concluindo que abrir uma pequena igreja é um grande negócio! Chega de Milhão!

Eu não sei de onde surgiu esta idéia. Acredito que este pensamento de pastor ladrão nasceu do fato de Safira e Ananias terem subtraído um certo dinheiro em Atos dos Apóstolos 5, ou quem sabe de Judas em João 12:6. Mas não confundam estes não eram pastores. O ideal seria falar menos de dinheiro e falar mais de Deus! Para não parecer o que não somos.

O evangelho é coisa séria!                                                                                  Texto de Rogério Loureiro

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails