A indulgência e sua causa nobre

Uma nova forma de indulgência tem surgido nos últimos tempos. É diferente em seu objetivo final, todavia, em sua forma, no que diz respeito a conduta, se assemelha em muito com as indulgências na baixa idade média praticadas pela igreja católica. Um dos objetivos das indulgências praticadas pela igreja de Roma era, como muitos já sabem, a construção da basílica de São Pedro, uma causa nobre, você não acha? E não só nobre, mas carregadas de boas intenções. E de boas intenções o inferno está cheio. Um outro ponto importante da indulgência é que ela pode ser pública e notória, ou pode ainda acontecer de modo quase que velado. Pública e notória era a forma usada pelos católicos, que não tinham vergonha em esconder, pois todo mundo via. Mas para os menos informados o que eram realmente as indulgências? Um dos significados da palavra indulgência é: perdão ou clemência. Acontece que lá pelos idos da idade média a "Santíssima Igreja de Roma" cobrava de seus fiéis um determinado valor para expurgar os pecados seus e de seus parentes mesmos que estes já tivessem falecido. As indulgências estavam diretamente ligadas ao sacramento da penitência. Após arrepender-se e confessar seus pecados, o sacerdote garantia a absolvição desde que o pecador pagasse com alguma coisa. Estas idéias foram formuladas basicamente por Alexandre de Hale. Clemente VI declarou o dogma em 1343. Uma bula papal de Sixto IV, em 1476, estenderia esse privilégio às almas que estavam no purgatório, desde que seus parentes comprassem indulgências por eles. Este é um breve resumo das indulgências na baixa idade média.
Nos tempos atuais estamos assistindo a uma verdadeira feira da fé. Nos programas de TV são comercializados todos os tipos de produtos gospel, vão de Bíblias a patuás da benção. Assim como nas indulgências na idade média a causa também é nobre. Manter programas de rádio que poderão salvar milhares de vidas. Também há a prestação de serviços como liberação de bençãos retidas em regiões celestiais, desemcapetamento total, intercessões especiais, oração forte, banhos de arruda e alecrim, e outros benefícios que se fossem citados aqui seria necessário fazer mais um blog.
Além destas coisas existe também aqueles que estão engajados em trabalhos enormes, para manter programas de TV, emissoras de rádio e ficam pedindo quantias absurdas como se fosse uma coisa normal. Criando até o clube de 1 milhão de almas. Certamente o Senhor quer abençoar o seu povo e nós crentes sabemos que não existe pessoa mais interessada em almas do que Deus. A idéia que estas pessoas passam é que para sermos abençoados precisamos liberar nossos talões de cheques. Isto é um erro pois a fé relatada na Bíblia não está vinculada a abrir mão de recursos financeiros do modo como estes senhores apresentam. Mike Murdock diz em sua pregação que vai liberar 3 milagres para os mil parceiros do novo clube como se ele fosse alguém muito especial detentora dos milagres. E ainda ele mesmo diz que vai pedir ao Espírito Santo para liberar muitas outras bençãos. Será que não podemos fazer isto sozinhos? E se alguém chegar atrasado com os Mil reais e ser o número mil e hum, será que tem benção para este também? Corra é por tempo limitado somente para os mil primeiros. Estas coisas não parecem muito certas por algumas razões:
1) Para uma pessoa ser abençoada existem duas alternativas a barata e a mais cara. Para quem quer uma libertação mais simples vai no "desencapetamento total" com direito a banho de alecrim e arruda como sugere a foto acima. Se você tem uma situação financeira melhor entre para o clube de 1 milhão de almas e ganhe inteiramente grátis o livro 1001 chaves de sabedoria. Pois a Bíblia por si só não basta.
1) A primeira coisa que ocorre é que a pessoa que planta esta semente coloca sua esperança nisto, e quem semeia quer colher, depois fica culpando Deus por promessas não cumpridas.
2) Só quem pode liberar uma benção é seu detentor. Até onde eu sei são as bençãos do Senhor que enriquecem e não acrescentam dores. O homem não pode determinar nada na vida de outrem se Deus não permitir.
3) Existem pessoas que podem ser constrangidas em uma situação como esta. Por não poderem contribuir com esta quantia. Algumas pessoas por serem pobres estão fora de vários circulos sociais e ficarão de fora do clube do milhão.
4) Ainda que Mike tenha "liberado" a benção da salvação sobre os mil a ênfase sempre cai sobre a vida financeira das pessoas. Salvação não vem primeiro.
5) Quando uma pessoa tem sua vida financeira próspera não significa que ela esteja salva e com seus pecados perdoados.
6) Medir a vida espiritual de alguém pelo o que ela tem está errado.
7) Nenhum deles de modo algum pode remir a seu irmão, ou dar a Deus o resgate dele. Pois a redenção da sua alma é caríssima, e seus recursos se esgotariam antes.
Rogério Loureiro

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails